Centro Loyola de Fé

Destaques, Ecos Literários › 04/06/2019

Pantocrator

Pantocrator de Geraldo Lacerdine

Pe André, Luís Araujo, SJ

O menino que um dia fui
ensinou-me a ter coragem
Amei sem ter medidas
tive mãe, tive amigos, fui inteiro e tive sonhos
Comemos e bebemos juntos, festejamos…
Entre vós descobri um jeito novo de ser gente
No sofrimento, na alegria, na carência ou na abundância
Meu olhar enchia-se de ternura
e entre lágrimas e sorrisos
meu coração mantém-se em paz
Encontrei tanta fé, tanta vontade, tanto desejo
Que não pude parar
Fui entre vilas e povoados
de um lado e de outro do mar
Falei de um Reino que não é deste mundo
mas começa aqui
Está em mim, está em ti
Ele está no meio de nós!
Sim!
Quanto tempo estive convosco
e não me reconhecestes…
Quis ser para vós o Pão da Vida
a Luz do mundo
o Pastor
Ah! Se ao menos vós me deixásseis ser a porta
Por ela passariam todas as ovelhas
Há algumas que não são deste rebanho…
Pouco importa!
Levo-as ainda ao colo
serei sempre o Bom Pastor que de tudo se despoja
O peso da cruz, a coroa de espinhos, os ultrajes
Só aumentaram em mim a vontade de ser para vós
verdade, caminho, vida
Ninguém vai ao Pai senão por mim
Pois bem
serei sempre esta videira
para que vós sejais os ramos
Não contristeis o vosso coração
Chorai por vós mesmos e por vossos filhos
Olhai para mim
Sou eu mesmo
Acreditai!
Dou testemunho e meu testemunho é verdadeiro
Vede o meu lado e as minhas mãos
Estou no meio de vós!
Sou também Ressurreição!

Deixe o seu comentário





* campos obrigatórios.

X